Carteira de crédito deve crescer 8,2% em 2020

A carteira de crédito total deve crescer 8,2% em 2020. Entre os fatores responsáveis pela expansão está o bom desempenho esperado para o crédito livre, em que não há destinação obrigatória para os recursos, que deve registrar crescimento de 12,3% no ano. É o que aponta a última edição de 2019 da Pesquisa FEBRABAN de Economia Bancária.

A Pesquisa FEBRABAN de Economia Bancária tem o objetivo de captar as percepções dos participantes sobre a última ata do Comitê de Política Monetária (Copom) e projeções sobre o mercado de crédito. A pesquisa é realizada a cada 45 dias, logo após a divulgação da última reunião do Copom. A última edição ouviu representantes de 16 bancos entre os dias 17 a 20 de dezembro.

O levantamento mostra que os bancos estão mais otimistas com relação ao desempenho do mercado de crédito do que na última edição da pesquisa, feita em novembro. A projeção média de crescimento para a carteira total em 2020 subiu de 7,8% (novembro) para 8,2% (dezembro). O mesmo aconteceu com o crédito livre: de 11,9% para 12,3%.

A melhora da projeção para o crédito livre decorreu da revisão positiva tanto do crédito livre para pessoa física (PF) quanto para pessoa jurídica (PJ). No caso do crédito livre PJ, a projeção ficou em 11,1% (ante 10,9% na pesquisa de novembro).

Para o crédito livre PF, a projeção saltou de 12,6%, em novembro, para 13,2%. Os números positivos são fruto, principalmente, do crédito pessoal, cuja projeção de expansão foi de 13,6% (novembro) para 14,1% (dezembro), e das linhas para aquisição de veículos, que tiveram os resultados positivos para 2020 revisados de 13,2% para 14,3%.

Tal cenário positivo esperado para o mercado de crédito em 2020 pode ser atribuído a baixa taxa Selic e a expectativa de aceleração do crescimento econômico, que devem levar a um crescimento ainda mais robusto do setor do que o observado em 2019.

Neste sentido, vale citar que a maioria dos participantes da pesquisa acredita que o Copom ainda deve fazer um corte adicional de 0,25 pp da taxa Selic no início de 2020, levando-a para 4,25% aa.

Para 2019, a projeção para o desempenho da carteira total ficou em 6,6% (ante 6,1% da pesquisa de novembro). A melhora é consequência do crescimento do mercado livre, cuja taxa de expansão projetada passou de 12,7% para 13,2%.

FONTE: FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos